Manuel Formigao

Alexandrina
de Balasar

SOYEZ LES BIENVENUS SUR LE SITE D'ALEXANDRINA

MANUEL NUNES FORMIGÃO
Cónego
1883-1958

O HOMEM QUE FÁTIMA FASCINOU

CRONOLOGIA

Nada é mais claro, mais fácil de ler e de compreender do que uma cronologia.

Aqui se indicam as datas mais importantes da vida daquele ou daquela de quem se quer frisar uma existência repleta de actividades religiosas, não só em prol da Igreja, mas também aquelas actividades sociais que o Evangelho proclama, como sendo o segundo mandamento: amar o próximo como a nós mesmos.

* * * * *

O Cónego Manuel Formigão foi um exemplo, não só para todos os sacerdotes, mais igualmente para todos os cristãos de todas as classes sociais; elle cumpriu até ao mais alto grau, pode dizer-se mesmo heroicamente, os dois primeiros mandamentos de Deus: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo”.

“Através da sua acção e da sua pena ao serviço da Igreja e dos acontecimentos de Fátima, em cuja sobrenaturalidade logo acreditou, o Cónego Formigão antecipou-se à Igreja que bem serviu. Depois dos Pastorinhos, o Sr. Cónego foi o instrumento escolhido por Nossa Senhora para garantir a autenticidade desses acontecimentos. Por isso a Diocese e o Santuário de Fátima, Portugal e o mundo, estão gratíssimos à memória deste sacerdote”. (D. João Pereira Venâncio 2º Bispo de Leiria).

1883 – Manuel Nunes Formigão, nasce em Tomar, a 1 de Janeiro.

1883 – É baptizado a 18 de Fevereiro na Igreja de S. João Baptista – Tomar.

1903 – É escolhido para fazer estudos superiores em Roma, devido às suas qualidades intelectuais, espirituais e morais.

1908 – É ordenado Presbítero a 4 de Abril em Roma.

1909 – É laureado em Teologia e Direito canónico pela Universidade Gregoriana de Roma.

1909 – Agosto, de regresso a Portugal, passa por Lurdes, e aos pés da Virgem compromete-se a divulgar a devoção mariana em Portugal.

1917 – Nossa Senhora aceita o seu voto, que ele cumpre com a entrega plena da sua vida desde a primeira hora, à causa de Fátima.

13/7/1917 – A convite do Sr. Arcebispo de Mitiléne, desloca-se pela primeira vez a Fátima para investigar a ocorrência.

1918 – Exerce a docência de várias disciplinas no Liceu de Sá da Bandeira, em Santarém, onde funda a “Associação Nun'Álvares.” 

1918 – Efectuou vários interrogatórios aos Videntes que são a primeira fonte com que de imediato divulga o acontecimento de Fátima.

1918/1956 – A sua pena veloz e mestria literária não param, ao serviço de Nossa Senhora e da Sua mensagem.

1918/1922 – Colabora nos periódicos:

“A Guarda”, onde publica “Os Episódios de Fátima”, nas “Novidades” e no “A. B. C.”.

1919 – Acompanha e apoia com desvelo e carinho os Pastorinhos nas suas doenças e dificuldades.

1921 – Escreve o livro “Os episódios maravilhosos de Fátima”.

1921 – Faz diligências e remove obstáculos na aquisição de terrenos para a construção da Capelinha e ampliação de espaço para a celebração dos actos de culto.

1922 – A pedido de D. José, Bispo de Leiria, integra a Comissão do Processo Canónico de investigação às aparições.

1922 – Colabora e põe de pé o periódico “Voz da Fátima”, que após dois anos, atingiu uma tiragem de 25.000 exemplares.

14/6/1924 – A sua experiência de servita de Nossa Senhora, em Lurdes, leva-o  a implementar idêntica actividade no Santuário de Fátima.

3/10/1928 – O Pe. Formigão assiste à primeira profissão religiosa da Irmã Lúcia em Tuy, e ela comunica-lhe a devoção dos primeiros sábados e pede-lhe que a divulgue.

1928 – Escreve a obra mais importante” AS GRANDES MARAVILHAS DE FÁTIMA”.

1930 – Inicia, em Santarém, a Associação “Ala do Santíssimo Rosário” – que, ao longo dos anos, deu origem ao actual Movimento da Mensagem de Fátima.

1930 – Escreve “Fátima, o Paraíso na terra” com fins económicos para a construção da Basílica.

1931 – Escreve “A Pérola de Portugal”.

1936 - Escreve “Fé e Pátria”.

1937 – Funda a revista Stella

1940 – Funda o periódico “Mensageiro de Bragança”.

1943 – Funda o Almanaque de “Nossa Senhora de Fátima”.

1956 – Escreve Sonetos – compilados na “Ladainha Lauretana”.

 30/01/1958  - Morre em Fátima, na Casa de Nossa Senhora das Dores.

FUNDADOR DAS RELIGIOSAS REPARADORAS DE FÁTIMA

6/1/1926 – O Padre. Manuel Nunes Formigão funda a Congregação das Religiosas Reparadoras de Nossa Senhora das Dores, de Fátima.

1926 – A Congregação nasce como resposta ao pedido que Nossa Senhora fez à Jacinta em Lisboa, “Reparar os pecados da humanidade”, indicando para efectuar essa missão o nome do Pe. Formigão.

– Foram inúmeros e dolorosos os contratempos surgidos na concretização da fundação da Congregação. Tudo o Pe. Formigão remove com heroísmo, para corresponder ao pedido de Nossa Senhora.

– O carisma essencial da Congregação é a “Reparação dos pecados”, que os seus membros procuram concretizar através da vivência Eucarística e da adoração reparadora ao Santíssimo Sacramento.

–  Na vertente activa, a Congregação dedica-se ao apostolado, à assistência e à educação nas diferentes camadas sociais e fases etárias.

–  A Congregação encontra-se activa nas dioceses: Braga, Bragança, Porto, Leiria-Fátima, Guarda e Trier.(Alemanha)

16/11/2000 – A Conferência Episcopal Portuguesa concedeu a anuência por unanimidade, para a introdução da causa de beatificação e canonização deste Apóstolo de Fátima.  

Agradecemos que as graças obtidas sejam remetidas para:

Secretaria Geral das Irmãs Reparadoras de Nossa Senhora das Dores de Fátima.
R. Santo António, 73- Ap.227
2495- 908 Fátima
Tel. 249 539 222/0
Fax. 249 539 222

Pour toute demande de renseignements, pour tout témoignage ou toute suggestion,
veuillez adresser vos courriers à
 :

alexandrina.balasar@free.fr